Anúncios


sábado, 6 de abril de 2013

Correio Forense - Dados do registro civil são válidos para trabalhadora rural obter salário-maternidade - Direito Previdenciário

25-03-2013 10:30

Dados do registro civil são válidos para trabalhadora rural obter salário-maternidade

Por unanimidade, a 1.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região manteve sentença de primeira instância que concedeu a uma trabalhadora rural o direito ao benefício de salário-maternidade. A decisão foi tomada após a análise de recurso apresentado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que, em síntese, sustentou não ter sido demonstrada a qualidade de segurada da autora.

O argumento não foi aceito pelo relator do caso, desembargador federal Kássio Marques. Segundo ele, consta nos autos que a autora da ação comprovou o exercício da atividade rural durante o tempo legalmente exigível para a concessão do benefício ao apresentar, entre outros documentos, certidão de casamento realizado em 18/12/2004, constando a profissão dos noivos como lavradores.

"O entendimento jurisprudencial se consolidou no sentido de que é possível se comprovar a condição de rurícola por meio de dados do registro civil, como certidão de casamento ou de nascimento de filhos e, ainda, em assentos de óbito, no caso de pensão - em suma, por meio de quaisquer documentos que contenham fé pública", explicou o magistrado.

Além disso, afirmou o relator, há nos autos a certidão trazida pela autora que comprova o nascimento da criança a que se refere o benefício pretendido. "Comprovado o nascimento da criança e atendidos os demais requisitos legais, [...], a concessão do salário-maternidade é medida que se impõe, sendo devido tal benefício durante 120 dias, com início no período entre 28 dias antes do parto e a data de ocorrência deste", salientou.

Processo : 0072621-63.2009.4.01.9199

Fonte: TRF 1ª Região


A Justiça do Direito Online


Correio Forense - Dados do registro civil são válidos para trabalhadora rural obter salário-maternidade - Direito Previdenciário

 



 

 

 

 





Nenhum comentário:

Postar um comentário